Ter uma mulher na mão-de-obra da equipe é um ponto essencial para as reformadoras. De acordo com a revista Pnews, a Associação Brasileira do Segmento de Reforma de Pneus (ABR) percebeu que vários executivos de empresas de pneus abriram suas portas para as mulheres e ficaram muito felizes com o resultado, justamente por serem mais delicadas, são mais cuidadosas, atenciosas, detalhista e tranquilas. 

Este sucesso vemos na matéria publicada na Gazeta Digital, sobre a invasão das mulheres em negócios tidos como masculinos. Na entrevista com a empresária Margareth Buzetti, de 59 anos, questionada sobre o que a move e a faz realizar cada vez mais dentro da sua área ela é enfática: “minha geração não recebeu nada pronto. Tínhamos que realizar. Você tinha que construir. Meu pai também nos deixou sempre participar e me emancipou muito”, avalia. 

Infelizmente muitas mulheres ainda trabalham mais e ganham menos que a maioria dos homens, mas esta questão está diminuindo e o poder feminino só tende a aumentar. Por exemplo, para analisar se a carcaça está em condições de passar por recapagem, muitas empresas preferem mulheres, pois tendem a ter as mãos mais leves e são mais exigentes, qualidades indispensáveis nos trabalhos que antecedem a reforma do pneu. 

É um oficio altamente artesanal que é exercido com muita competência pela equipe feminina. Por isso, da próxima vez que você for pensar na recapagem do seu pneu, lembre-se que uma mulher pode ter sido a responsável pelo serviço. É a igualdade de gêneros e a expansão feminina tomando conta do setor de veículos.